quinta-feira, 4 de março de 2010

Você é do Japonês?

Depois do trabalho, lá pelas oito da noite, mulher tenta entrar no ônibus e topa com um moleque que sai pela porta de entrada, para entrar de novo pela porta de saída. 
- Boa noite, Japonês!
Mulher murmura um "Boa noite" sem muita expressão. Ao sentar, cansada, lá vem o discurso:
- Senhoras e senhores, desculpe incomodar a tranquilidade da sua viagem.... blablabla... (e foi aquela história triste para pedir uns trocados.)
Mulher continuou na tranquilidade inabalável da sua viagem. Quase inabalável.
- Japonês, não tem uma moedinha?
- Desculpe, tou sem nada....
- Você é japonês?
- Ahãn, sou. (nem levanta o olhar)
- Você é Japonês e fala português?
- (...)
Ele passa, arrecada moedinhas e volta. 
- Posso me sentar perto de você, Japonês?
Sem querer criar polêmica, ela balança a cabeça afirmativamente pensando que já vai descer. O menino senta ao seu lado, virado para ela, encarando-a como se olha a um ET.
- Japonês, como você fala português?
- Porque eu nasci no Brasil.
- Mas você não é japonês? Você nasceu no Japonês?
- Não, eu nasci no Brasil.
- Mas você tem cara de japonês!
- Você veja só...
- Você nasceu no Japonês e veio pro Brasil?
- Não, nasci no Brasil....
- Mas você tem cara de japonês! Nasceu no Japonês e veio pro Brasil?! E você fala japonês?
- Não....(na realidade ela dá aulas de japonês, mas deixa pra lá...)
- Como você não fala japonês? Se você nasceu no Japonês?
- Ah, eu tenho que saltar. Tchau! 
E levanta-se. Na realidade faltava uns quatro pontos. E ela ficou na porta, fingindo que olhava com afinco para fora, como que procurando o ponto certo para descer. 
- Japonês, quer que eu puxe a cordinha? Vou puxar! 
E puxou.
- Não... Ainda não é aqui...
Ônibus pára, motorista olha pelo retrovisor e a mulher faz não com a cabeça. Se não estivesse tão escuro, desceria ali mesmo, mas a caminhada era um pouco longa... E se ele resolvesse descer junto?
- Japonês, você não vai descer? Onde você vai descer?
- (...)
Chega o ponto certo dela. O menino se agita para descer. 
-Tchau, Japonês!
- (...) - com sorriso amarelo (de japonês?? rsrs)
Mulher desce no próximo ponto, anda umas quadras a mais, mas tudo bem. Quando chega em casa, marido comenta: 
- Você demorou um pouco hoje, não?! Tudo bem?
- Ah, amor, você não imagina o quanto foi demorado pra mim!!!

*FIM*
-

4 comentários:

Denise disse...

aahahahahhahaa
uma amiga contou que, no aeroporto em Belém , no Pará, uma mulher pediu para 'tirar foto com ela'. Ela entendeu 'tirar uma foto dela' e quando tava arrumando a câmera, foi corrigida, já que a dona da máquina "queria uma foto com a mulher japonesa!". NUnca tinha visto uma e tava tirando foto pra comprovar!

Renata disse...

Hahahah! mto engraçado!
Aconteceu com vc mesma?
bj

harumi disse...

Denise, você, da terra dos pé-vermeio e agora curitiboca, não pode imaginar que exite lugares neste Brasil continental em que japonês só é visto na tevê. Eu, não imaginava. E isso acontece o tempo todo aqui... Eu tb já tirei foto no melhor estilo baiana-de-salvador, hahahaha...

Rê, o que você acha? este tipo de história só-podia-ser-comigo aconteria com mais quem? hein? hahahaha.

artesanal.blog disse...

Deixando de lado o medo do moleque descer junto, achei muito engraçado!

Tenho uma amiga que sempre (sempre) vive histórias absurdas como essa. Achei que ela fosse a única, haha.

Beijos, Lu