quinta-feira, 25 de abril de 2013

Mais um rali...

No começo do mês, fomos a São José dos Campos participar de mais um rali da Mitsubishi! Encontrei uma querida que fez uma sessão de fotos bem caprichada da Nega Tereza! Nega me disse que não quer mais outra vida: viagem em família, estrada de terra e ficar bem na foto! (^_^)
Nega Tereza, a top model
(foto: Sandra Pagano)
Um ano e meio depois da minha estreia como navegadora (veja aqui), já consigo ler a planilha bem melhor, mas ainda é um nervosismo pré-prova que só eu sei. Neste sábado, para piorar, perdi o GPS que sempre usamos nas provas (e xodó do Marido-piloto-furioso). Tive dor de barriga (de verdade!) na hora de sair do hotel, quase pensei em desistir. Mas, como sou teimosa, ops, persistente, não o fiz.
Eu, mostrando a planilha de navegação pra Sandra 
Navegadora estudando a planilha
(foto: Sandra Pagano)
Estávamos muito animados, já que tinha chovido a semana toda na região, a aventura ia ser boa! Nos saímos muito bem na primeira parte, achei que tinha dominado a planilha. E isto tudo sem o tal GPS! Ah, realização de navegadora!!! Eu estava arrasando!! \*Ü*/

Mas se tudo for muito fácil não tem graça, né? Pois bem, no começo da segunda parte houve uma confusãozinha com a planilha e gritaria no carro. Passe a igreja e siga. Agora, um cruzamento. Depois, na trifurcação (esta palavra existe?), pegue a estrada do meio, de terra.
-Que trifurcação???
-Ué, tem na planilha!
-Mas cadê? Devia ser aqui.
-É mesmo! Devia ser aqui, mas não tô vendo. (virando pra trás e para todos os lados, procurando três estradas... como se perde uma trifurcação??)
-Rápido! estamos perdendo tempo!! E pontos!!! 
-(...)
-Vamos voltar! Vê se presta atenção no caminho desta vez! 

Refizemos o caminho e caímos no mesmo lugar: aquele em que não se enxerga a divisão da estrada...  Voltamos de novo. Já não sabendo pra onde ir, pedi ajuda ao piloto-furioso, que também não identificou o erro.
-Você é a navegadora! Você é quem tem que saber!

Ainda bem que nunca estamos sozinhos neste mundo e percebemos mais de dez carros indo e voltando, sem entender nada. Alguém resolveu subir a rua ao lado da igreja: lá na frente parece ter uma estrada de terra. Como eram muito carros perdidos, quero dizer, carros tentando decifrar a planilha, acabamos num congestionamento na ruela. Foi então que o navegador do carro do lado perguntou pra tiazinha, que estava na janela vendo o movimento, para onde era a saída da cidade. 
-É por esta outra rua.
Ah, agora entendi a tulipa (desenho da planilha)! Era para contornar a quadra da igreja e não ir reto!!! 

Achamos a estradinha de terra, terminamos o percurso no tempo e ainda permanecemos casados! Óia a foto de família feliz abaixo, hehehehe! Tão harmônico, né?  :-d
(isto me lembrou como somos românticos nas estradas de lama da vida: veja aqui)

pose para a foto em família
Em tempo: depois de um loongo dia, ao voltarmos ao hotel, eis que o GPS estava bem guardadinho na mala!! 

3 comentários:

Angela disse...

Adorei!!!!
Tô orgulhosa de voce!!! Não desistiu e se "achou" ... kkkkk

Mina disse...

Que legal! eu e meu marido adoramos fazer trilha pois fizemos muitos amigos jipeiros, e você é mais uma!! Linda a sua Nega Tereza!! Tem guincho e tudo! Parabéns navegadora, que venha muitos outros para você participar !! beijos!

Vanessa Maurer disse...

Ai que delícia fazer trilha! Morro de vontade de fazer isso um dia!
Beijocas