domingo, 7 de novembro de 2010

inveja e outros sentimentos

Eu já ouvi falar em 'inveja boa' e 'inveja ruim'. Ou 'inveja branca'. Eu não acredito que isso exista. Pra mim, inveja é inveja, ciúme é ciúme. É um sentimento e pronto. Tudo começa na questão de que "fulano tem/é/faz algo e eu não".  O que eu  acredito é que podemos direcioná-la de forma boa ou ruim. 
Há quem diga: "Ah, ele tem tanto e eu tão pouco! Que vida ingrata!"
Eu acho que seria mais positivo pensar: "Nossa, ele conseguiu tanto! Eu também bem que poderia conseguir, né? Vou à luta!"
Claro que é fácil teorizar. Difícil é deixar o anjinho da consciência falar mais alto. Difícil é conseguir deixar de lado a mesquinharia e a pequenez e se colocar acima destas coisas. Mas o mais difícil mesmo, na minha opinião, é olhar pra dentro da gente mesmo, ver que a gente é capaz e que somos responsáveis por nós mesmos, em vez de colocar a culpa em terceiros pelo nosso 'destino'.
Quando conseguimos isso, percebemos que as alegrias são simples e sinceras, e a felicidade depende de muito pouco.
Eu, apesar da miopia e dos olhos pequenos, continuo tentando olhar pra dentro de mim mesma e enxergar as coisas que realmente valem a pena. Tem dias em que há uma nevoazinha que atrapalha a visão. Ainda bem que, cedo ou tarde, os ventos carregam as nuvens pra outro lado e deixam o céu mais limpo e claro. :-)

Um comentário:

deniseescreve disse...

Admitir que a gente tem inveja é algo importante - nem que seja pra nós mesmas ou pra terapeuta.
=)