quinta-feira, 22 de abril de 2010

metro-e-meio

 (Leblon, 2007)
Dia desses, a filhinha de um amigo pediu pra chamar "aquela menina que fez origami comigo" pra ir na casa deles (acho que ela queria fazer mais bichinhos de dobraduras, rsrs). O amigo tenta explicar pra menina que a tal se chama Harumi e que "ela não é menina, ela é adulta e casada com amigo do papai..." "Ah, ela não é menina? Mas eu sou quase do tamanho dela, pai!!"

Apesar de não ter problemas com a minha pouca altura, é bem verdade que uns centímetros a mais facilitariam muito a vida. Por exemplo, tenho que ter sempre um banquinho em casa, quando não uma escada, para alcançar as coisas lááá em cima (ironia do destino: o pé-direito aqui é altíssimo, coisa de prédio antigo...). Na casa da minha mãe (de baixinhos, lógico!), desenvolvemos uma técnica para alcançar a prateleira mais alta do armário da cozinha em cima da pia (onde ficava as gostosuras mais gostosas, claro!): subimos num banquinho, depois na pia (às vezes, vai direto mesmo, sem banquinho) e - voilà - chegamos aos chocolates e salgadinhos. Quando meu marido me vê fazendo isso se diverte, tira um sarro. Mas é tão natural, fazemos isso desde 'pequenos'. Hoje, eu penso que ver/deixar uma criança fazendo isso não é tão engraçado assim...

Outra coisa é ao pegar condução lotada. Muitas vezes acabo prensada no sovaco de alguém. Levar cotoveladas no topo da cabeça também é coisa corriqueira em horários de rush... Nem dá pra ficar de mau-humor... Só com o topo da cabeça meio dolorida...

Ah, e (mais) ironia do meu metro-e-meio: fui casar com um polaco de metro-e-oitenta-e-seis. Diferença pouca, não acham? E a diferença de altura entre nós rende (mais) boas histórias.

Na casa da minha mãe, ele sempre tem que cuidar pra não bater nas quinas das portas de armários altos, que insistem em ficar abertas. Eu e a parte japa da família passamos direto por baixo das portas abertas (ué!). Marido vai no ritmo e -TUM! - sai xingando com a testa vermelha.

Aqui em casa, algumas adaptações foram feitas no nosso cotidiano. As minhas coisas ficam nas prateleiras de baixo e as dele, nas de cima, claro. E as coisas em comum, são negociadas. Por exemplo, a caixinha de fósforo, que fica no peitoril de uma janela alta, deve ficar com uma pontinha  pra fora, para que eu possa alcançar num tapinha. Uma vez, logo que nos casamos, marido esqueceu disso e 'guardou' a caixa, lá no fundo (?) do peitoril, eu não alcancei e fui gritando que ele era um sacana e egoísta, blablabla, toda revoltada (baixinha invocada? será?). Adivinhem? Ele estava no telefone com a mãe (dele). Quase me atirei do nono andar de vergonha...

Uma coisa que descobri uns meses depois que nos mudamos foi que marido deixa a 'baguncinha' dele em cima da geladeira, onde eu não enxergo. Isso nos poupa horas de implicâncias minhas, segundo o próprio.
Bem, dia desses, ele deixou a chave em cima da geladeira, uma forma de lembrete: escreveu na porta da geladeira 'Vó' e colocou a chave lá, pois quando fosse pegá-la para sair, leria o lembrete e não esqueceríamos de parabenizar a Vó pelo aniversário. Sistema complexo, não? Mas funciona! O que aconteceu foi que ligamos pra vó antes de precisar ler o bilhete e ao sair, eu fui até a porta e abri a porta com a minha chave. Minutos depois, ele me liga avisando que deixou a chave em cima da geladeira e não pôde abrir a sua gaveta no escritório, nem acessar os arquivos que estavam na pendrive, presa ao chaveiro. Como neste dia ele tinha aula à noite, não teria problemas para entrar em casa: eu chego antes. "Se a aula for cancelada, ele vai ter que ligar pra avisar, senão vai ficar pra fora", pensei. Neste dia deu tudo certo, ainda bem!  (^_^)
*

4 comentários:

Yoko disse...

Sabe que tenho uma teoria de que a altura do meu nariz é a altura mediana do suvaco masculino...
Fedeu!

Renata disse...

bem, eu nem preciso falar nada, né... rsrsrs

Mirabel disse...

Também tenhu uns probleminhas desses, adorei teu blog e teus trabalhos no flickr, bjs

Daniel disse...

A Babi ainda não está muito convencida de que vc não é uma menina...rsrs (que bom né!!) Parabéns pelo blog